publicado por gondomaralegre2011 | Segunda-feira, 17 Janeiro , 2011, 12:21

Estamos na recta final da campanha presidencial.

 

Forçar uma segunda volta e derrotar Cavaco Silva, mais do que um objectivo ao nosso alcance, é uma obrigação daqueles que perfilham os ideais da democracia e da justiça social. Por isso, mais do que nunca é necessário um esforço suplementar de todos os socialistas, de todos os democratas.

 

Porque nesta eleição não está apenas em causa a eleição de um Presidente da Republica, o que está em causa é muito mais que isso, é uma disputa ideológica, é a garantia de uma democracia plena, é a estabilidade política e é sobretudo o futuro de Portugal e dos Portugueses.

  

Nesta eleição está em causa a opção clara e inequívoca por uma visão positiva do nosso futuro colectivo, uma visão de esperança, uma cultura de responsabilidade e de determinação, contra uma direita a puxar o País para baixo, ansiosa pela entrada do FMI – o cavalo de Tróia dos interesses financeiros internacionais – para executar as políticas que não é capaz de colocar ao sufrágio dos Portugueses, uma direita incapaz de governar Portugal numa situação difícil e desejosa de encontrar parceiros internacionais para destruir o Estado Social, pondo em causa direitos consolidados dos Portugueses.

 

Nesta eleição está em causa a opção clara e inequívoca por uma visão de democracia plena e não apenas formal, uma democracia onde exista igualdade de oportunidades para todos, uma democracia em liberdade, uma democracia económica, social e cultural, uma democracia que afirme Portugal no mundo, que puxe pelo orgulho e patriotismo dos Portugueses, e saiba defender o prestígio de Portugal no plano internacional, contra uma direita dos interesses, contra o neoliberalismo e contra uma visão europeia egoísta, mesquinha e xenófoba.

 

Esta é a hora de elegermos um Presidente da República que fale claro e com verdade aos Portugueses, que garanta a estabilidade do Governo legítimo e patriótico de Portugal, contra um Presidente e uma direita que têm uma estratégia e uma agenda escondida – a destruição do estado social – para que os sectores financeiros, que foram o grande responsável pela actual crise mundial, venham a ser os seus principais beneficiários.

 

Por isso, apelo à mobilização dos socialistas do distrito, apelo à sua participação no Comício de encerramento da Campanha na próxima sexta-feira, dia 21, pelas 21h00, no Pavilhão do Académico (junto ao Marquês) – Porto.

 

O Presidente da Federação Distrital do Porto do PS 

Renato Sampaio

  

  

 

 

 

tags:

Janeiro 2011
D
S
T
Q
Q
S
S

1

2
3
4
5
6
7
8

9


26
27
28
29

30
31


arquivos
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO